A adesão de Lucrecia Martel ao imaginário gótico em Zama

Autores/as

  • Fernanda Sales Rocha Santos Universidade de São Paulo - USP Brasil

Resumen

O presente artigo visa aproximar o filme argentino Zama (Lucrecia Martel, 2018) do imaginário narrativo gótico, oriundo de uma tradição que remete a obras literárias europeias do século XVIII —cujos temas e formas envolvem uma perspectiva ambígua e assombrada de mundo. Parte-se do questionamento de como o estilo de Martel traduz cinematograficamente, e por meios intermidiáticos, as disposições sombrias do livro de Di Benedetto, intensificando a adesão desta narrativa ao imaginário gótico. A hipótese a ser articulada é a de que o filme Zama estimula uma abordagem amaldiçoada que conecta a trama do protagonista ao processo colonizatório espanhol, por meio de escolhas formais e de alterações de enredo em relação à obra literária em que o filme se baseia.

Palavras-chave: intermidialidade, Lucrecia Martel, cinema contemporâneo, gótico.

 La adhesión de Lucrecia Martel al imaginario gótico en Zama

Resumen: El presente artículo examina la película argentina Zama (Lucrecia Martel, 2018) desde el punto de vista del imaginario gótico, oriundo de una tradición que remite a obras literarias europeas del siglo XVIII —cuyos temas y formas plantean una perspectiva ambigua y asombrada del mundo. Partiendo del cuestionamiento de la manera en que el estilo de Martel traduce cinematográficamente las disposiciones sombrías del libro de Di Benedetto a través de la intermedialidad, la hipótesis es que al conectar la trama del protagonista con el proceso colonizador español, la película Zama aborda al protagonista como un ser maldito mediante opciones formales y alteraciones de la obra literaria original.

Palabras clave: intermidialidad, Lucrecia Martel, cine contemporáneo, gótico.

Lucrecia Martel’s adherence to the gothic imaginary in Zama

Abstract: This article focuses the Argentine film Zama (Lucrecia Martel, 2018) from the vantage point of the gothic imaginary, which stems from the 18th C tradition of European literature, defined by themes and forms that present an ambiguous and haunted perspective of the world. By examining Martel’s use of intermediality to underscore the bleakness of Di Benedetto’s book the article posits that by connecting the plot to the Spanish colonial process Martel changes of the plot of the novel and suggests that the protagonist is cursed.

Key words: intermidiality, Lucrecia Martel, contemporary cinema, gothic.

Fecha de recepción: 15/01/2019

Fecha de aceptación: 31/08/2019

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Biografía del autor/a

Fernanda Sales Rocha Santos, Universidade de São Paulo - USP Brasil

Doutoranda em “História, Teoria e Crítica do Cinema” no Programa de Pós-Graduação em Meios e Processos Audiovisuais (Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo – USP). Mestre pelo mesmo programa, com bolsa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo – FAPESP. Bacharela em Imagem e Som (Universidade Federal de São Carlos – UFSCar), com ênfase nas áreas de direção e roteiro audiovisual. E-mail: fer.salesrocha@gmail.com

Descargas

Publicado

12-12-2021

Cómo citar

Sales Rocha Santos, F. (2021). A adesão de Lucrecia Martel ao imaginário gótico em Zama. Imagofagia, (20), 66–89. Recuperado a partir de http://asaeca.org/imagofagia/index.php/imagofagia/article/view/105

Número

Sección

Presentes