Entre Tânatos e Eros: estéticas e narrativas do mal-estar no cinema brasileiro

Autores/as

  • Graziele Rodrigues de Oliveira Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Palabras clave:

cinema brasileiro, melancolia, mal-estar, psicanálise.

Resumen

Este texto discute como os conceitos de Eros (pulsão de vida) e Tânatos (pulsão anarquista) podem significar uma emergente cinematografia brasileira, cuja temática comum é o mal-estar contemporâneo. Estes conceitos expressariam um “sujeito moderno”, que tem sintomas de “anacronismo”, de se desprender das amarras culturais de seu tempo, como a recusa às referências conservadoras em suas variadas nuances – na dinâmica e relações de poder do mercado de trabalho, no padrão de sexualidade, no modelo unívoco de família –, e assim reivindicam possibilidades de experimentação e ruptura com os valores vigentes. Dentro de um panorama maior de filmes, elenca-se como microcosmo para estudos os filmes Praia do Futuro (2014), Pela Janela (2017) e Beira-Mar (2018).

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Biografía del autor/a

Graziele Rodrigues de Oliveira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutoranda em Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Mestre em Literatura Comparada na Universidade Federal da Integração Latino-Americana. Bolsista CAPES. E-mail: grazielecomz@gmail.com

Descargas

Publicado

07-06-2022

Cómo citar

Oliveira, G. R. de. (2022). Entre Tânatos e Eros: estéticas e narrativas do mal-estar no cinema brasileiro. Imagofagia, (25), 33–56. Recuperado a partir de http://asaeca.org/imagofagia/index.php/imagofagia/article/view/896

Número

Sección

Presentes